PRORROGAÇÃO DE PRAZO: Chamada artigos científicos livro comemorativo 70 anos da DUDH

Setenta anos após a adoção da Declaração Universal dos Direitos Humanos, diversos avanços e impactos na efetivação de direitos humanos podem ser nomeados; contudo, ainda há desafios a serem ultrapassados. Nesse sentido, com vistas a impulsionar o debate em torno da proteção e da promoção de direitos e reflexionar perspectivas, o Grupo de Estudos em Direito Internacional dos Direitos Humanos da Universidade Federal de Minas Gerais torna pública a chamada para seleção de artigos científicos a serem publicados no livro comemorativo “70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos: avanços, desafios e perspectivas”.

O prazo para envio de resumos expandidos foi prorrogado para o dia 03/08.

Acesse o edital aqui.

Anúncios

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS: LIVRO COMEMORATIVO 70 ANOS DA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

Setenta anos após a adoção da Declaração Universal dos Direitos Humanos, diversos avanços e impactos na efetivação de direitos humanos podem ser nomeados; contudo, ainda há desafios a serem ultrapassados. Nesse sentido, com vistas a impulsionar o debate em torno da proteção e da promoção de direitos e reflexionar perspectivas, o Grupo de Estudos em Direito Internacional dos Direitos Humanos da Universidade Federal de Minas Gerais torna pública a chamada para seleção de artigos científicos a serem publicados no livro comemorativo “70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos: avanços, desafios e perspectivas”.

O prazo para envio de resumos expandidos é o dia 25/07.

Para mais informações, acesse o edital.

GEDI é decacampeão nacional da maior competição de Direito Internacional do mundo

Entre os dias 03 e 06 de março, Salvador (BA) foi palco das rodadas brasileiras da Jessup International Law Moot Court Competition, culminando com a vitória da equipe do GEDI-CIJ, representada pelos estudantes Amael Notini, Ana Clara Simões, Bárbara Boëchat Pereira Lima, Giuliana Rezende e Sofia de Freitas Fróes, acompanhados pelo instrutor Bernardo Mageste Castelar Campos.

A conquista representou o décimo título nacional do GEDI-CIJ desde que a competição chegou ao Brasil, em 2001, e o terceiro título consecutivo. A excelente participação da equipe também se consolidou com os prêmios de melhor oradora (Bárbara), terceira melhor oradora (Sofia) e melhor memorial.

A equipe agora se prepara para representar o Brasil na etapa internacional, em Washington D.C., em abril, junto com a Universidade Federal de Santa Maria, 2º lugar nas rodadas brasileiras.

O que é a Jessup?

Organizada pela International Law Students Association (ILSA), a Jessup reúne a cada ano mais de 550 equipes de mais de 80 países em uma competição de julgamento simulado sobre temas atuais e controversos de direito internacional. O caso da edição de 2017, The Case concerning the Sisters of the Sun, tratou das obrigações dos Estados ao gerir recursos de

UFMG e UFSM pós-rodada final

aquíferos transfronteiriços, do direito de posse sobre itens de patrimônio cultural e da responsabilidade dos Estados pela geração de afluxos massivos de refugiados.

Cada equipe participante deve submeter previamente dois memoriais (em nome da requerente e da requerida) sustentando juridicamente os pedidos das partes. Em seguida, nas rodadas orais, as equipes defendem seus argumentos contra os de outra equipe perante uma banca de três juízes.

Na etapa nacional da Jessup, participaram 10 universidades de diversas partes do Brasil.

 

UFMG é a primeira universidade não-francófona a vencer o Concours Charles-Rousseau

Pela primeira vez nos 31 anos de existência da competição, uma equipe de um país não-francófono conquistou o título de campeã do Concours de procès simulé en droit international Charles-Rousseau, a maior competição de direito internacional em língua francesa do mundo. Formada por apenas duas pessoas, a equipe das estudantes Joana de Andrade Pacheco e Letícia 13235384_1345077172175495_3483453073827093815_oAndrade Lopes da UFMG fez história ao trazer o Prix Charles-Rousseau ao Brasil. Essa foi apenas a terceira vez que a UFMG participou da competição, tendo se mantido invicta em todas as edições em que participou, feito nunca alcançado por outra universidade.

Organizado pelo Réseau francophone de droit international (RFDI), o Concours Rousseau conta com a participação de renomadas universidades de diversas partes do mundo, como a Yale UniversityUniversité Laval e Université Paris 1 – Panthéon Sorbonne. A cada ano, o RFDI formula uma disputa fictícia perante um tribunal internacional sobre a qual as equipes devem trabalhar, escrevendo memoriais de acusação e defesa e posteriormente participando em arguições orais contra outras universidades.

13248391_1345077658842113_6347766503247838768_o
Rodada final contra o Institut des hautes études internationales et du développement.

Este ano, o caso envolveu uma disputa perante a Corte Internacional de Justiça entre Estados Unidos e Cuba sobre a legalidade de atividades farmacêuticas em Guantánamo.

A edição de 2016 teve lugar na Universidad de la Habana, em Cuba, e contou com a participação de 26 universidades de países como Alemanha, França, Canadá, Estados Unidos e Argentina. Nas rodadas preliminares, a equipe da UFMG enfrentou a Université d’Ottawa (Canadá), a Université du Maine (França), Université des Lagunes (Costa do Marfim) e Université de Strasbourg (França), ganhando todas as rodadas e classificando-se para a semi-final – a única equipe com menos de 4 integrantes a fazê-lo – contra a Université du Québec à Montréal (Canadá). Na final, a equipe enfrentou o Institut des hautes études internationales et du développement (Suíça), sagrando-se campeã do Concours Rousseau.

13248392_1345109152172297_4767924741868066367_oAlém do primeiro lugar na competição,  a equipe obteve o prêmio da Société européenne de droit international, reservado aos finalistas, e  a estudante Letícia Andrade Lopes obteve o prêmio de melhor oradora da rodada final.

 

Parabenizamos a equipe pela vitória histórica!

Destaque do GEDI na Jessup International Law Moot Court Competition

Representando o Brasil como campeã nacional, a equipe do GEDI-CIJ participou entre os dias 27/03 e 02/04 da fase internacional da 57ª Philip C. Jessup International Law Moot Court Competition. No que foi descrito por Lesley Benn, diretora executiva da International Law Students Association (ILSA) como a maior etapa internacional da história da Jessup, as estudantes Bárbara Boëchat Pereira Lima, Mariana Rodrigues Leite Ribeiro e Sofia de Freitas Fróes conquistaram um dos melhores resultados de uma equipe brasileira na competição.

Entre 116 equipes de mais de 80 países, o GEDI ficou com a 35ª posição na fase internacional. A integrante Bárbara Boechat Pereira Lima se destacou como 82ª melhor oradora da competição entre mais de 400 participantes, sendo esta a segunda melhor posição entre os latinoamericanos.

Rodada com a equipe de Singapura
Rodada com a equipe de Singapura

A preparação da equipe se iniciou em setembro de 2015, quando foi divulgado o caso da competição, The Case concerning the Frost Files, tratando sobre a legalidade de operações de espionagem, a expropriação dos aparelhos utilizados em tais operações, derrogações de direitos humanos frente a ameaças terroristas e ciberataques. Em janeiro de 2016, foram submetidos os memoriais escritos defendendo cada uma das partes do caso e, em fevereiro de 2016, o GEDI se sagrou campeão nacional da Jessup.

Em Washington D. C., A equipe enfrentou os times da Tallinn University School of Law (Estônia), University of Colombo (Sri Lanka), National University of Singapore (Singapura) e St. Augustine University of Tanzania (Tanzânia), vencendo três das quatro rodadas.

A campeã da etapa internacional foi a Universidad de Buenos Aires (Argentina), sendo esta a quarta vez na história que uma equipe latinoamericana conquista o título da competição.

12916227_702884823148307_1025668018781956265_oO GEDI agradece o apoio do professor Roberto Luiz Silva, coordenador do grupo, que contribuiu com a benfeitoria para que a equipe pudesse arcar com os custos da viagem a Washington. Também agradecemos a Ana Clara Simões, Bernardo Nicolau, Carolina Campos, Fausto Castro, Flávio Aurélio Wandeck Filho, Henrique Sato, Humberto Vasconcelos, Juliana Cordeiro de Faria, Juliana Fonseca, Laura Berdine Santos Delamônica, Leonardo Nemer Caldeira Brant, Leonel Lisboa, Luiz Guilherme Costa Koury, Mateus Lima, Milton Andrade Leite Ribeiro, Mônica Sette Lopes, Rosinalva Rodrigues Martins, Tiago Zanella e Verônica Hassler Benn, que também contribuíram com a benfeitoria. Esse apoio foi imprescindível para o sucesso na competição!

Seleção GEDI-CIJ 2016

Parabéns a todos que participaram da seleção de 2016! As reuniões terão início na sexta-feira  dia 8 de abril, no 9 andar do prédio da graduação às 11h30. Os aprovados foram:

Amael Notini Moreira Bahia

Ana Clara de Oliveira Teixeira

Ana Luise Santana de Souza

André Almeida Gonçalves

André Santiago

Arthur Vartuli Yokoo

Bernardo Nicolau do Carmo Gonçalves

Bruna Pirfo Lima Fontes

Bruno Lucas Oliveira Assunção

Carlos Eduardo Baêta de Melo

Diogo Gama Pozzato

Fernanda de Figueiredo Gomes

Gabriel Rodrigues

Giovanna Damasceno Moreira

Giuliana Alves Ferreira Rezende

Henrique Tironi Santos Holzmeister

Jhonytan Mark da Silva

Juliana Senna

Maria Alice Alves da Cruz

Marina Ribeiro Reis

Marisa Neves Magalhães Cordeiro

Marjorie Lopes Coelho

Mylla Crystina Alvarenga Ramos

Rayara Regina Conceição da Silva

Rodrigo Toledo Rocha Sobreira

Saulo Leonardo de Jesus Filho

Sofia Chang Nogueira

Sofia Neto Oliveira

Tiago Guilherme Faria

Vicenzzo Dote

Vitor Bernardes de Castro Rocha